19 novembro 2011

Afinal, quem é o mestre?


 Vi o violonista Robson Miguel pela primeira vez há alguns anos, dando entrevista para o Jô Soares. Ele chamava a atenção da platéia por conversar com o Jô ao mesmo tempo em que tocava, sem parar de falar nem de tocar. Autodenomina-se "mestre" das cordas dedilhadas. Eu nunca vi mestre algum - de verdade - se chamar de mestre.

O cara mora num castelo cheio de troféus e prêmios em sua homenagem. Diz que o construiu para lembrar das origens do violão, que "apareceu nos castelos da Europa", "sendo tocado para reis e rainhas". Robson Miguel gaba-se de ocupar a primeira posição no "ranking mundial de violonistas", de acordo com um certo Círculo Guitarrístico Europeu.

Miguel se mostra mesmo muito virtuoso ao instrumento. Toca com velocidade, exuberância, com muitas firulas, emendando uma atrás da outra. Mais parece um prestidigitador musical. De uns dias pra cá, as façanhas musicais do violonista vêm sendo questionadas por internautas em grupos de discussão na web. Tudo começou quando alguém mais atento ouviu algo estranho na videoaula "O Jazz em suas mãos", DVD lançado por Miguel.

Vejam esse trecho onde o "mestre" dá dicas para improvisar no tema "Summer Night" (Aaron Gardner). Com apenas alguns segundos, percebemos que trata-se de dublagem, pois seus movimentos e o de seus acompanhadores não estão totalmente sincronizados com o som (e não é problema de atraso, note que o baixista simplesmente não sabe os breaks e a linha de condução).



Mas isso não é o pior. Saibam que, apesar do "mestre" dizer que vai ensinar como "buscar a improvisação dentro de um mesmo acorde", este solo não é uma improvisação dele, Robson Miguel, e sim do grande guitarrista (esse sim, mestre) Joe Pass. A gravação é do disco "Summer Nights" (Pablo), de 1989. Podem checar na gravação abaixo: Miguel baixou o andamento e o tom da gravação e simplesmente dublou a performance. E não esclarece que se trata de um solo que não é dele - pelo menos no vídeo.




Logo a suposta "fraude" se espalhou entre músicos em redes sociais. Antes de simplesmente postarmos os vídeos aqui, nosso blog enviou um email à produção de Robson Miguel. A resposta veio rápida, gentil e - inesperadamente -  positiva. A produção do "mestre" informa que sim, o solo do vídeo é realmente de Pass e que, sim, está sendo dublado. Segundo o email, o "mestre" teria feito isso a pedidos de alunos para que pudessem ver uma transcrição do solo de Pass sendo tocada, para facilitar o aprendizado. E diz ainda que no próprio Youtube consta a informação de que "o Mestre Robson Miguel com seu Grupo de Jazz apresenta uma improvisação do grande guitarrista Joe Pass sobre o tema "Summer Night" (de Aaron Gardner) do seu curso em DVD O JAZZ EM SUAS MÃOS". Ou seja, confirma que realmente trata-se de uma dublagem.

O assunto rendeu - e rende ainda - muita discussão na internet, por isso já apareceram outros vídeos "suspeitos". Um outro link mostra toda uma big band dirigida por Robson Miguel dublando um arranjo do violonista virtuose Earl Klugh para "Take it from the top".



O original é esse aqui, do disco "Wishful thinking", de 1984.



A big band tocou o mesmo som, o solo saiu igualzinho. Mas vale perguntar como isso foi possível, já que nem baixo acústico tem na banda de Robson Miguel, e esse é o som que ouvimos na gravação. Talvez nem precisemos esperar a confirmação da produção do "mestre" de que, sim, trata-se de dublagem.

A única dúvida que resta mesmo é quem é o mestre. Pois tocar como Joe Pass ou Earl Klugh já seria suficiente para garantir o título a qualquer músico. Dublá-los é apenas macaquice. Mas peço aos leitores deste blog que não se deixem levar pelos fatos: perguntem ao tal Círculo Guitarrístico Europeu o que acham do "primeiro do ranking" dublando uma gravação de um simples guitarrista que nem se enquadra em ranking nenhum...

Um comentário:

  1. Realmente esse tal de Robson Miguel é um dublador nato.

    ResponderExcluir

Agradeço a sua participação. Comente livremente. Comentários mal-educados e sem fundamento serão excluídos.